A  restauração do pavimento da Estrada Parque Ceilândia (EPCL), popularmente conhecida como Estrutural, vai sair do papel ainda este ano.

O serviço vai trocar o pavimento asfáltico das seis faixas de rolamento de todo o trecho da rodovia DF-095, de aproximadamente 12 km, por concreto. O orçamento previsto para a obra é de R$ 38 milhões.

De acordo com o diretor-geral do DER, Fauzi Nacfur Junior, o edital deve ser lançado até o fim da primeira quinzena de julho. O protocolo de intenções entre o Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER/DF) e a Agência de Desenvolvimento do DF (Terracap) foi assinado nesta segunda-feira. “Agora com o protocolo assinado e o orçamento garantido, a Terracap está ajustando os últimos detalhes para efetivamente lançarmos o edital. Estimamos que até outubro consigamos iniciar a obra”, informou.

Material mais resistente

A troca de material de asfalto para concreto tem o objetivo de garantir maior segurança e durabilidade à via. Enquanto o pavimento asfáltico de boa qualidade requer manutenção em no máximo cinco anos, o concreto dura até 20 anos.

Em todo o Distrito Federal somente dois locais já contam com faixas de concreto. A faixa exclusiva para ônibus da Estrada Parque Taguatinga (EPTG), com 12 km de extensão e a faixa exclusiva do BRT Sul, com extensão de 1,2 km.

A EPCL será a primeira rodovia com as faixas de rolamento, em toda a sua extensão, totalmente em concreto.

Izidio Santos, presidente da Terracap, diz que  a obra é um marco na cidade. “É um piso moderno, com durabilidade alta e com preços equiparados aos de pavimento asfáltico. Por isso, o governador resolveu inovar numa via tão importante como essa e utilizar o pavimento rígido”.

Pela DF-095 trafegam, aproximadamente, 120 mil veículos por dia. Esses motoristas são oriundos das cidades de Ceilândia, Taguatinga, Vicente Pires, Cidade Estrutural e de Águas Lindas de Goiás (GO), via BR-070.

*Com informações do DER/DF e Terracap

Fonte: agenciabrasilia.df.gov.br/2020/06/23/convenio-garante-obra-de-restauracao-da-via-estrutural

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here