Eleição em outubro é incerta e impeachment hoje é inviável, diz ACM Neto
Eleição em outubro é incerta e impeachment hoje é inviável, diz ACM Neto
Eleição em outubro é incerta e impeachment hoje é inviável, diz ACM Neto
Eleição em outubro é incerta e impeachment hoje é inviável, diz ACM Neto
Eleição em outubro é incerta e impeachment hoje é inviável, diz ACM Neto
Eleição em outubro é incerta e impeachment hoje é inviável, diz ACM Neto

O prefeito de Salvador e presidente do Democratas, Antonio Carlos Magalhães Neto, 41 anos, diz ser “muito difícil” realizar as eleições para prefeitos e vereadores em outubro caso o coronavírus continue avançando em maio e junho.

“Vai ser possível ter eleição ou não? Essa discussão vai ter que começar agora”, afirma. “Minha vontade é que a eleição possa acontecer em outubro”, diz. Prorrogar mandatos para coincidirem com o pleito de 2022 seria “péssimo para a democracia” e “inconstitucional”, afirma ACM Neto, como é conhecido o neto do político baiano Antonio Carlos Magalhães (1927-2007).

Receba a newsletter do Poder360todos os dias no seu e-mail

O prefeito soteropolitano também diz que as acusações do ex-ministro Sergio Moro contra Jair Bolsonaro são graves, mas precisam ser provadas. Diz não enxergar clima para impeachment. Afirmou que o Carnaval em sua cidade está ameaçado pelo coronavírus e que Bolsonaro e Doria travam uma disputa irresponsável.

ACM Neto deu entrevista ao jornalista Fernando Rodrigues, apresentador do programa Poder em Foco, uma parceria editorial do SBT com o jornal digital Poder360.

Assista à íntegra da entrevista gravada em 30 de abril de 2020 (49min34seg):

“O problema maior não é o dia da votação, você pode dizer que a votação não vai ser em 1 dia, vai ser em 4. Não vai ser em 1 final de semana, vai ser em 2, em 3 finais de semana. Tudo isso dá para fazer. Estabelecer regras por letra, por distanciamento. Aumentar o número de colégios eleitorais”, diz, citando formas de evitar aglomerações nas sessões eleitorais.

A principal questão, segundo ACM Neto, é como fazer campanha. “Muitos vão responder: ‘A campanha vai ser digital’. Por internet, mídias sociais e pela televisão. E como é que faz no município pequeno, que não tem retransmissora de televisão, que não tem emissora de rádio, que não tem banda larga para acesso à internet?”, questiona.

“Eu não tenho condição ainda de dar 1 veredicto. Mas, se a projeção do coronavírus se confirmar, com 1 agravamento ao longo de todo o mês de maio, ao longo do mês junho, para todas as regiões do país, caso isso aconteça, os números se confirmem, acho muito difícil ter eleição em outubro”, declara o presidente do DEM.

A data da eleição pode ser alterada por meio da aprovação de uma PEC (proposta de emenda à Constituição) no Congresso. Prorrogação de mandato é tida como impossível no meio político. ACM Neto, por exemplo, acha a prorrogação inconstitucional. É que os eleitores elegeram prefeitos para mandatos de 4 anos. O Congresso não tem poder para alterar a vontade dos eleitores.

O presidente do DEM fala, ainda, sobre a tentativa do presidente Jair Bolsonaro de criar uma base de apoio no Congresso Nacional. Desde a posse, em 2019, a relação entre governo e Legislativo tem sido conflituosa.

As conversas do Planalto com PSD, PP, PL e Republicanos envolvem a indicação de aliados dos caciques partidários para cargos no 2º escalão da administração pública.

“É importante destacar que cada 1 teve sua conversa e cada 1 teve seu objetivo. Nós, do Democratas, não admitimos negociação de cargos”, afirma o prefeito. Ele esteve com Bolsonaro, e diz que o presidente nem tocou no assunto.

O prefeito diz que seu partido não é inimigo do governo: “Se não fosse pelo Democratas não teria reforma da Previdência”. Afirma que a legenda está disposta a colaborar com 1 “diálogo de alto nível”.

ACM Neto diz que discorda das declarações de Jair Bolsonaro sobre o coronavírus. O presidente da República minimiza a pandemia e é contra o isolamento social. “Isso não quer dizer que eu ache que devemos isolar o governo federal. Não. Devemos conversar”, fala o prefeito de Salvador.

“Existem ainda 2 anos e 7 meses pela frente do governo. Isso é uma eternidade. É muito tempo pela frente. Não dá para a gente estar agora defendendo ou conspirando com teses golpistas”, diz o cacique demista.

Depois da saída do ex-ministro da Justiça Sergio Moro do governo, aumentou a pressão para que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), correligionário de ACM Neto, dê andamento a 1 processo de impeachment contra Jair Bolsonaro.

Moro afirmou que Bolsonaro pretende interferir politicamente na Polícia Federal. Também disse que não assinou 1 documento que saiu com seu nome no Diário Oficial da União. Tratava-se da exoneração do ex-diretor-geral da PF Maurício Valeixo, ligado a Moro e pivô de sua saída do governo.

O prefeito diz que as afirmações do ex-ministro são graves. Mas ressalva: “Essas acusações vão estar fundamentadas com algum elemento que as comprove? É isso que precisamos saber. O STF já determinou o avanço das apurações”.

De acordo com o presidente do DEM, a investigação deve ser no Judiciário. Atualmente, diz, não é momento para uma CPI (comissão parlamentar de inquérito) ou processo de impeachment.

“Não há ambiente nenhum nesse momento para que o Congresso dê seguimento a 1 processo de impeachment contra o presidente”, analisa.

“É surreal a gente já ter que viver uma crise de saúde, a mais grave de todos os tempos. Talvez a mais grave crise econômica que o país já viveu. E ainda ter que viver uma crise política. É algo surreal. Mas acho que nesse momento não há elementos para a gente avançar no processo de impeachment”, diz.

imagem04 05 2020 04 05 48
imagem04 05 2020 04 05 48
imagem04-05-2020-04-05-48

Poder em Foco: ACM Neto

8 Fotos

Veja a galeria completa›

Poder em Foco: ACM Neto
Poder em Foco: ACM Neto
Poder em Foco: ACM Neto
Poder em Foco: ACM Neto
Poder em Foco: ACM Neto
Poder em Foco: ACM Neto
Poder em Foco: ACM Neto
Poder em Foco: ACM Neto
Poder em Foco: ACM Neto
Poder em Foco: ACM Neto
Poder em Foco: ACM Neto
Poder em Foco: ACM Neto
Poder em Foco: ACM Neto
Poder em Foco: ACM Neto
Poder em Foco: ACM Neto
Poder em Foco: ACM Neto
Poder em Foco: ACM Neto
Poder em Foco: ACM Neto
Poder em Foco: ACM Neto
Poder em Foco: ACM Neto
Poder em Foco: ACM Neto
Poder em Foco: ACM Neto
Poder em Foco: ACM Neto
Poder em Foco: ACM Neto

1/8 Poder em Foco: ACM Neto

O prefeito de Salvador e presidente do Democratas, Antonio Carlos Magalhães Neto, 41 anos, foi o 31ª entrevistado do programa Poder em Foco, uma parceria editorial entre o Poder360 e a emissora de televisão SBT. Por causa da pandemia da covid-19 e as recomendações de quarentena, a conversa foi por videoconferência.

Sérgio Lima/Poder360 – 30.abr.2020

2/8 Poder em Foco: ACM Neto

Questionado sobre a possibilidade de adiar as eleições municipais, ACM Neto diz que sua vontade é de que sejam mantidas para outubro. Afirma que prorrogar mandatos para coincidirem com o pleito de 2022 seria “péssimo para a democracia” e “inconstitucional”.

Sérgio Lima/Poder360 – 30.abr.2020

3/8 Poder em Foco: ACM Neto

ACM Neto também comenta a tentativa do presidente Jair Bolsonaro de criar uma base de apoio no Congresso Nacional. “Nós, do Democratas, não admitimos negociação de cargos”, afirma o prefeito. Ele esteve com Bolsonaro, e diz que o presidente nem tocou no assunto.

Sérgio Lima/Poder360 – 30.abr.2020

4/8 Poder em Foco: ACM Neto

Na entrevista, o prefeito soteropolitano também diz que as acusações do ex-ministro Sergio Moro contra Jair Bolsonaro são graves, mas precisam ser provadas. ACM Neto não enxerga clima para impeachment.

Sérgio Lima/Poder360 – 30.abr.2020

5/8 Poder em Foco: ACM Neto

Segundo ACM Neto, o coronavírus ameaça o tradicional Carnaval de Salvador em 2021. “Se não houver [uma vacina], vai ser preciso analisar num momento mais próximo do futuro quais são as condições de transmissão do vírus, quais são as restrições que ainda precisarão acontecer em 2021”, declara o demista.

Sérgio Lima/Poder360 – 30.abr.2020

6/8 Poder em Foco: ACM Neto

ACM Neto classifica como “discussão irresponsável” a disputa entre o presidente Jair Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB-SP), acerca de quem causou o aumento nas mortes decorrentes do coronavírus. “Agora, o momento é de prefeitos, governadores e o governo federal se unirem”, afirma.

Sérgio Lima/Poder360 – 30.abr.2020

7/8 Poder em Foco: ACM Neto

Sobre a política econômica do governo federal, ACM Neto diz que em situações normais é contra aumentar gastos públicos. Mas na avaliação do prefeito de Salvador, essa não é uma situação normal. “Não tem jeito. O governo vai ter que gastar”, afirma.

Sérgio Lima/Poder360 – 30.abr.2020

8/8 Poder em Foco: ACM Neto

Fernando Rodrigues, diretor de Redação do Poder360 e apresentador do programa Poder em Foco. A atração é gravado em estúdio do SBT, em Brasília.

Sérgio Lima/Poder360 – 30.abr.2020

Compartilhar

CARNAVAL, SÓ COM VACINA

O tradicional Carnaval de Salvador, 1 dos maiores do país, está ameaçado em 2021, explica ACM Neto. Ele enumera riscos de contágio pelo coronavírus na folia:

“O Carnaval reúne praticamente 3 milhões de pessoas nas ruas. As pessoas se abraçando, se beijando, é muito contato físico.”

O prefeito de Salvador diz ser difícil fazer uma previsão sobre a realização do Carnaval em 2021.

“Claro que se até lá houver uma vacina, e a gente espera que haja uma vacina, esse assunto vai estar inteiramente resolvido. Se não houver, vai ser preciso analisar num momento mais próximo do futuro quais são as condições de transmissão do vírus, quais são as restrições que ainda precisarão acontecer em 2021”, declara o demista.

No cenário atual, avalia ACM Neto, a chance de haver Carnaval em 2021 como em condições normais é pequena.

“Se a gente for fazer uma avaliação com o cenário de hoje, é impossível pensar em eventos com aglomerações de pessoas, com junção de pessoas, principalmente numa escala como o Carnaval. Mas eu espero que as coisas melhorem muito até lá”, afirma.

BOLSODORIA: DISCUSSÃO IRRESPONSÁVEL

ACM Neto classifica como “discussão irresponsável” a disputa entre o presidente Jair Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB-SP), acerca de quem causou o aumento nas mortes decorrentes do coronavírus.

Na última 4ª feira (29.abr.2020), Bolsonaro responsabilizou governadores pelos óbitos.

“As medidas restritivas estão a cargo dos governadores e prefeitos. A imprensa tem que perguntar para o Doria por que que mais gente está perdendo a vida em São Paulo. Tem que perguntar a ele, que tomou todas as medidas restritivas que achava que tinha que tomar”, afirmou o presidente em frente ao Palácio da Alvorada.

“Saia da sua bolha, presidente Bolsonaro. Saia dessa sua fábula. Saia do seu mundinho de ódio. Não frequente apenas seu ‘gabinete de ódio’, percorra hospitais, seja solidário”, respondeu Doria.

“Essa é uma discussão irresponsável que não leva ninguém a lugar nenhum. É 1 absurdo a gente ver, num momento como este de pandemia, enfrentamento político, acusação política. Agora, o momento é de prefeitos, governadores e o governo federal se unirem”, afirma ACM Neto.

O prefeito afirma ter defendido essa ideia em conversa com Bolsonaro. “Da minha parte jamais ninguém vai ver uma defesa de partir para o ataque, de querer empurrar a responsabilidade pra A, B ou C”, declara o demista.

Ele afirma ser “evidente” que desde o começo Bolsonaro escolheu defender a economia em detrimento das medidas restritivas para conter o avanço do vírus.

“Eu assumi uma linha oposta ao presidente Jair Bolsonaro. Inclusive, quando foi necessário, eu elevei o tom, fiz críticas contundentes ao presidente da República. No entanto, acho que não dá para a gente ficar preso nesse debate ou nesse enfrentamento”, diz o prefeito de Salvador.

RODRIGO MAIA X BOLSONARO

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e Jair Bolsonaro estiveram em atrito nas últimas semanas. Enquanto o governo dizia que o deputado estava apoiando uma bomba fiscal no projeto de socorro aos Estados, Maia chegou a dizer que Bolsonaro não queria ajudar governadores de centro-direita.

Perguntado sobre quem estava com razão, ACM Neto evitou dar uma declaração assertiva. “Não seria conveniente eu como presidente do Democratas, que estou pregando o diálogo, emitir minha opinião a esse respeito”.

O presidente do DEM, porém, afirma que “nos últimos dias o clima melhorou muito”. “A gente viu diminuir as tensões de 1 lado e de outro”, declara.

“Não precisam ser amigos, não precisam se gostar pessoalmente. Mas, 1 sendo chefe do Executivo e o outro do Legislativo, eles precisam construir uma agenda importante para o país”, diz ACM Neto.

“GOVERNO TEM QUE GASTAR”

O ministério de Jair Bolsonaro vive uma divisão. Enquanto Paulo Guedes (Economia) tenta manter a agenda liberal e evitar novos gastos públicos, Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) articula 1 pacote de investimentos estatais em infraestrutura.

ACM Neto diz que em situações normais é contra aumentar gastos públicos. Essa, porém, não é uma situação normal, na avaliação do prefeito de Salvador.

“Diante da crise, que é uma crise seríssima, não dá para imaginar que o governo possa deixar de gastar. Não tem jeito. O governo vai ter que gastar”, afirma ACM Neto.

O presidente do DEM defende a busca por 1 “ponto de equilíbrio”. “Não pode ser nem tanto de maneira que torne imprevisível esse futuro, e nem tão pouco que o governo abdique de ser o indutor dessa retomada no 1º momento”, diz.

“É preciso ter 1 horizonte, que não é a gastança, a farra, o liberou geral. Mas também o governo tem 1 papel que não pode abrir mão”, avalia o presidente do DEM.

O Plano Pró-Brasil, de Rogério Marinho, deve ser considerado, diz ACM Neto. Em suas palavras: “Não é simplesmente rasgar esse plano”.

MEDO DO CORONAVÍRUS

Pesquisa DataPoder360 mostra que 26% dos brasileiros acham que podem morrer caso contraiam o coronavírus. A percentagem é bem mais alta que a taxa de mortalidade da doença causada pelo vírus, a covid-19.

“Está muito claro que as pessoas se conscientizaram de que o coronavírus não é uma gripezinha”. Diz ACM Neto que a população começa a ver no Brasil cenas similares às de países mais atingidos pelo vírus. “Infelizmente a porta de entrada foi Manaus, que já protagoniza 1 colapso no sistema de saúde”, declara o neto de Antonio Carlos Magalhães.

A pesquisa também mostra que em 15 dias subiu de 8% para 16% a parcela de brasileiros que declara já ter sido infectada ou conhecer alguém que foi infectado pelo coronavírus.

“Muita gente achava que o coronavírus não ia chegar perto de si. Que não ia pegar 1 parente seu, 1 amigo seu. Outra percepção que mudou: no começo, as pessoas mais pobres achavam que o coronavírus era uma doença só de rico”.

O prefeito de Salvador diz que não há alternativa ao foco total em saúde e na contensão do vírus.

“Que país conseguirá retomar o seu ritmo de crescimento econômico com centenas, milhares de mortos, com imagens todos os dias de caixões para cima e para baixo, hospitais superlotados e câmaras frigoríficas tomadas por cadáveres? Qual é o país que volta? Nenhum”, afirma ACM Neto.

“O sacrifício de hoje pode significar uma retomada mais consistente no amanhã”, diz o prefeito da capital baiana.

“Infelizmente o Brasil será 1 dos países com maior número de casos e de mortes no planeta. Eu acho que o brasileiro começa a ter essa consciência, daí o resultado da pesquisa desse final de semana”, analisa.

ISOLAMENTO EM SALVADOR

ACM Neto diz que a cidade que administra está se saindo bem no combate ao coronavírus e seus efeitos, em comparação com a média do país.

“Teve uma situação muito paradoxal. A gente vem tendo resultados muito positivos no controle ao isolamento social e isso gerou, em determinado momento, uma percepção de tranquilidade nas pessoas. O que aconteceu? Elas começaram a relaxar”, declara o presidente do DEM.

Ele afirma que precisou colocar 1 “freio de arrumação”.

“É claro que não vamos ter 26% de mortos, a taxa de letalidade aqui em Salvador hoje é de 3,5%, a de São Paulo é o dobro da de Salvador, estamos com a taxa de letalidade muito abaixo inclusive da média do Brasil. No entanto, eu acho que as cenas que começam a acontecer no nosso país estão mostrando às pessoas, conscientizando as pessoas que o coronavírus chegou aqui para valer”, afirma o presidente do DEM.

O político baiano afirma que a prefeitura só terá condições de flexibilizar as medidas restritivas quando passar o pico de contágios da doença.

“O que mais me preocupa é que não haja colapso no sistema de saúde a ponto de os médicos terem que escolher quem vai viver e quem vai morrer. É possível garantir que isso não vai acontecer em Salvador? Infelizmente não”, diz o prefeito.

Ele também afirma que o governo do Estado, comandado por Rui Costa (PT-BA), enviou os pacientes de coronavírus do interior para a capital. Isso teria deixado o sistema de saúde de Salvador mais exposto.

Quem é ACM Neto

Descendente de Antonio Carlos Magalhães, ACM Neto é de uma das famílias mais tradicionais da política brasileira. Seu tio Luís Eduardo Magalhães, morto em 1998, foi presidente da Câmara.

ACM Neto foi deputado federal de 2003 a 2012, pelo DEM e pelo PFL (Partido da Frente Liberal, antigo nome do DEM).

Em 2012, candidatou-se à prefeitura de Salvador. Foi eleito no 2º turno. Em 2016, foi reeleito com 74% dos votos já no 1º turno.

Assumiu a presidência do DEM em 2018, e foi reconduzido no cargo em 2019. Tem 41 anos.

PODER EM FOCO

O programa semanal, exibido aos domingos, sempre no fim da noite, é uma parceria editorial entre SBT e Poder360. O quadro reestreou em 6 de outubro, em novo cenário, produzido e exibido diretamente dos estúdios do SBT em Brasília.

Além da transmissão nacional em TV aberta, a atração pode ser vista nas plataformas digitais do SBT Online e no canal do YouTube do Poder360.

Eis os outros entrevistados pelo programa até agora, por ordem cronológica:

Continuar lendo

imagem04 05 2020 06 05 16
imagem04 05 2020 06 05 16
Conteúdo Bloqueado

Ajude-nos a crescer! Compartilhe esta matéria com seus amigos no Facebook clicando no botão abaixo para desbloquear o conteúdo automaticamente. Compartilhar é grátis!

Clicando no botões você concorda com os termos de uso e política de privacidade

Compartilhe isso:

Curtir isso:

Curtir Carregando…

Fonte: xn--flashdenotcias-9lb.com.br/destaques/eleicao-em-outubro-e-incerta-e-impeachment-hoje-e-inviavel-diz-acm-neto-poder360-correio-df

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here