ANÚNCIO

As igrejas evangélicas de Belo Horizonte (MG) têm se preparado para retomar as celebrações de culto, suspensas desde o início do período de quarentena, com medidas preventivas adotadas em cooperação com a Câmara Municipal.

ANÚNCIO

A Frente Parlamentar Cristã, da Câmara da capital mineira, recomendou que as denominações providenciem álcool em gel, máscaras e definam distanciamento entre os fiéis de pelo menos um metro, com cultos de até uma hora de duração.

Outro ponto é que os templos não devem receber mais do que 30% de sua capacidade de lotação máxima. No entanto, um entrave ainda impede que a retomada seja garantida, já que uma deliberação do governo do estado proibiu reuniões públicas ou privadas com mais de 30 pessoas, a título de se evitar aglomerações.

De acordo com informações do portal Hoje em Dia, a prestação de assistência espiritual em meio à pandemia é o principal ponto que justifica a reabertura, segundo o pastor Jorge Linhares, presidente da Igreja Batista Getsêmani, no bairro Dona Clara, na Pampulha.

ANÚNCIO

Linhares revelou que sua igreja já vai retomar as reuniões no próximo domingo, 03 de maio: “A área médica cuida do corpo, psicólogos e psicanalistas cuidam da mente e pastores e padres cuidam da parte espiritual. É isso que o governador (Romeu Zema) e o prefeito (Alexandre Kalil) têm usado para não fecharem as igrejas”, disse o líder evangélico, que também comanda o Conselho Estadual de Pastores, entidade que representa várias denominações.

ANÚNCIO

Entre os católicos, a postura é de um pouco mais de cautela, e a Arquidiocese de Belo Horizonte informou que, por enquanto, não definiu planejamento para o retorno das celebrações.

Riscos

A reabertura dos templos ainda preocupa especialistas em Saúde já que em março, entidades internacionais anunciaram que parte da disseminação do novo coronavírus ocorreu por conta de reuniões e eventos religiosos, como por exemplo, um congresso pentecostal na França, que é apontado como epicentro da contaminação de 40 pessoas que compareceram às celebrações no final de fevereiro.

ANÚNCIO

Na Coreia do Sul a avaliação indica um cenário ainda mais grave, já que uma mulher de 61 anos infectada com o novo coronavírus teria contaminado, direta e indiretamente, milhares de pessoas ao participar de celebrações em diferentes igrejas.

ANÚNCIO

Leonardo Weissmann, consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), observou que qualquer tipo de aglomeração ainda deve ser evitada: “É impossível garantir que as pessoas irão manter o distanciamento físico necessário o tempo todo, inclusive durante o percurso entre a residência e a igreja”, pontuou.

O médico lembrou que os dados do Ministério da Saúde indicam uma curva ascendente do número de casos e de mortes: “Com o sistema de saúde de várias localidades entrando em colapso, é necessário que as autoridades avaliem com muito cuidado e responsabilidade qualquer forma de flexibilização”.

A Guarda Municipal de Belo Horizonte emitiu nota afirmando que a fiscalização nos templos irá observar o uso de máscaras, o respeito ao distanciamento mínimo definido e a disponibilização de álcool gel.

ANÚNCIO

Fonte: noticias.gospelmais.com.br/igrejas-retomada-cultos-mascaras-alcool-gel-134348.html

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here