Olavistas tentam reverter escolha de Feder para o Ministério da Educação
Olavistas tentam reverter escolha de Feder para o Ministério da Educação
Olavistas tentam reverter escolha de Feder para o Ministério da Educação

A provável indicação de Renato Feder para o Ministério da Educação irritou a parcela de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro que segue as ideias do escritor Olavo de Carvalho. Tão logo a nomeação foi apontada como possibilidade, a “ala ideológica” de bolsonaristas começou uma campanha nas redes sociais para que Feder não seja oficializado no cargo.

Feder é secretário de Educação do governo do Paraná. Ele  nasceu em São Paulo e é empresário. Antes de assumir a secretaria, era o CEO da Multilaser, empresa do ramo de tecnologia. É um dos fundadores do site Ranking de Políticos.

Quem se manifesta de maneira mais fervorosa nas redes contra o secretário do Paraná é Silvio Grimaldo, editor do site olavista Brasil Sem Medo. Ele critica a ligação de Feder com a Fundação Lehmann, organização do terceiro setor gerenciada pelo empresário Jorge Paulo Lehmann que tem o objetivo de educar jovens e formar novos líderes políticos.

Leia mais

Bolsonaro veta obrigatoriedade de uso de máscaras em locais fechados

3 jul, 2020

Municípios criticam União por falta de alinhamento em ações contra a…

2 jul, 2020

Outra crítica ao empresário é pelo fato dele ter doado para a campanha de João Doria (PSDB) a prefeito de São Paulo em 2016 e por ter participado como voluntário no governo de Geraldo Alckmin (PSDB) em São Paulo.

Outros que coordenam os ataques ao nome cotado para ministro da Educação são Bernardo Küster, que é alvo do inquérito das fake news, e Leandro Ruschel. Ambos também escrevem para o site olavista Brasil Sem Medo.

A “ala ideológica” do governo foi a responsável por emplacar no MEC Ricardo Vélez e Abraham Weintraub. Entre as pautas defendidas pelo grupo estão o combate ao que chamam de “ideologização de ensino nas escolas”.

Os nomes defendidos por esse grupo de apoiadores do presidente são o do assessor especial do MEC Sérgio Sant’anna e da secretária de Educação Básica do MEC, Ilona Becskehazy. O nome de Ilona foi defendida em artigo escrito por Paulo Briguet, editor-chefe do site olavista Brasil Sem Medo.

Veja a seguir os tuítes com críticas a Feder:

Renato Feder entregou a Secretaria de Educação do Paraná para a Vetor Brasil, uma das ONGs de gestão educacional da Lemann. Se o @jairbolsonaro entregar o MEC para isso aí, pode apagar aquele discurso bonito na ONU. pic.twitter.com/r38mJFVS9M

— Silvio Grimaldo (@silviogrimaldo) July 3, 2020

Que beleza! Dar-se-á tudo que Huck, Lemann, Dória e o Comando Maluco querem na Educação, se Feder for ministro. Jair, melhor deixar o MEC sem comando do que nomear esse cara. Tome mais tempo! https://t.co/BIKGyGqAvT

— Bernardo P Küster 🇧🇷 (@bernardopkuster) July 3, 2020

Presidente vai colocar na Educação um sujeito ligado a Doria?

— Leandro Ruschel (@leandroruschel) July 3, 2020

> Cadastre-se e acesse de graça, por 30 dias, o melhor conteúdo político premium do país

imagem03 07 2020 20 07 22
imagem03 07 2020 20 07 22

Continuar lendoConteúdo Bloqueado

Ajude-nos a crescer! Compartilhe esta matéria com seus amigos no Facebook clicando no botão abaixo para desbloquear o conteúdo automaticamente. Compartilhar é grátis!

Clicando no botões você concorda com os termos de uso e política de privacidade

Compartilhe isso:

Curtir isso:

Curtir Carregando…

Fonte: xn--flashdenotcias-9lb.com.br/noticias/politica/olavistas-tentam-reverter-escolha-de-feder-para-o-ministerio-da-educacao-congresso-em-foco

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here