Ensino online não substitui o presencial, diz fundador da Khan Academy
Ensino online não substitui o presencial, diz fundador da Khan Academy
Ensino online não substitui o presencial, diz fundador da Khan Academy
Ensino online não substitui o presencial, diz fundador da Khan Academy
Ensino online não substitui o presencial, diz fundador da Khan Academy
Ensino online não substitui o presencial, diz fundador da Khan Academy

O empresário Jorge Paulo Lemann e o educador Sal Khan debateram sobre ensino online no painel digital “EdTech e filantropia: construindo o futuro da educação”, nesta 4ª feira (13.mai.2020). A discussão é parte da programação da conferência Brazil at Silicon Valley.

Receba a newsletter do Poder360todos os dias no seu e-mail

Jorge Paulo Lemann é 1 empresário de 80 anos, cofundador da 3G Capital –gestora de recursos detentora de Burger King, Kraft Heinz Company– e acionista da AB InBev. Tem patrimônio de US$ 10,4 bilhões. É a 2º pessoa mais rica do Brasil e o 129º do mundo, de acordo com ranking da revista Forbes.

Desde 1991, Lemann atua como filantropo da educação, quando criou a Fundação Estudar, que financia estudos de brasileiros no exterior. Posteriormente, em 2004, criou a Fundação Lemann –organização sem fins lucrativos que também atua na educação brasileira.

A entidade concebe e financia projetos na área da educação junto a professores, gestores escolares, secretarias de educação e governos.

Um dos projetos viabilizados pela Fundação Lemann foi a tradução para o português da Khan Academy –uma plataforma educacional online gratuita, sediada nos EUA.

O projeto leva o nome de seu fundador, Sal Khan, educador norte-americano de 43 anos. Khan tem formação em matemática, engenharia elétrica e ciência da computação, mas sua principal atuação profissional é à frente da Khan Academy.

A plataforma já produziu milhares de videoaulas em diversas matérias acadêmicas, como matemática, ciência, programação de computadores, história, história da arte e economia. Há conteúdos disponíveis desde o 1º ano do ensino fundamental. Além de projetos de tradução do material para 45 idiomas. São cerca 15 milhões de usuários mensais no mundo.

No painel desta 4ª (13.mai), Lemann e Khan falaram sobre como tecnologia e inovação podem impulsionar o futuro da educação no Brasil e no mundo –especialmente durante a pandemia.

Khan explica que conforme países na Ásia fechavam suas escolas, a Khan Academy começou a se preparar para 1 aumento no número de acessos. Segundo ele, o tráfego cresceu de 2,5 a 4 vezes desde o início da pandemia –Brasil e Índia sendo os principais responsáveis pelos acessos fora do EUA (cerca de ⅓ do tráfego total).

O educador enxerga a crise como uma oportunidade para uma maior adesão a práticas de ensino virtual. Segundo ele, “as pessoas estavam indo nesse caminho, mas a pandemia é 1 catalisador para mais mudanças”.

Exclusão digital

Khan admite, no entanto, que a exclusão digital é o principal obstáculo para uma maior adesão às tecnologias de educação à distância. Especialmente em países de baixa renda, muitos não têm acesso à internet.

“Até mesmo em países ricos como os EUA, em muitos distritos escolares há 20%, 30% dos alunos sem acesso”, Khan exemplifica. “Provavelmente, essas crianças estão ficando para trás nos estudos, ainda mais agora”, disse em referência à suspensão de aulas presenciais por conta do coronavírus.

Sobre a exclusão digital, Jorge Paulo Lemann destaca que é 1 ponto chave no Brasil, onde cerca de 1/3  dos domicílios não têm acesso à internet. Mas o empresário acredita que, com a democratização do acesso à internet, as ferramentas de ensino digitais servirão para nivelar as “lacunas sociais” existentes no país, já que ampliarão o acesso a conteúdo educacional de qualidade.

Khan concorda, e reitera que muitos jovens perdem oportunidades profissionais por não terem acesso à educação de qualidade. “Para cada Albert Einstein ou Marie Curie, pense em quantos não se perdem na multidão, talvez em uma favela no Brasil ou na Índia”, diz.

Ele destaca ainda que, com a automação e novas tecnologias, muitos postos profissionais serão perdidos. Seria, portanto, essencial que o acesso à educação fosse democratizado para garantir o integração da população ao mercado de trabalho.

Para Jorge Paulo Lemann, o acesso à internet depende de iniciativas do governo federal e da atuação do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). O empresário defende, porém, que muito pode ser feito a nível regional. Segundo ele, a Fundação Lemann tem “uma relação muito próxima” com 350 municípios brasileiros “e é mais fácil fazer coisas práticas nesse nível”.

Ele cita o exemplo do Uruguai, que tornou universal o acesso à internet nas escolas do país. Lemann estima que o custo para fazer o mesmo no Brasil seja de US$ 15 bilhões. Para ele, é 1 projeto possível. Para viabilizá-lo, é necessário encontrar “as formas corretas e pessoas comprometidas”.

O ensino presencial

Por fim, Khan esclarece que o ensino online não substitui as aulas presenciais. Ele considera as plataformas digitais como ferramentas à disposição dos professores. Para ele, ambas as formas de aprendizado devem coexistir.

Khan defende, inclusive, que o papel do professor seja “elevado” com a introdução de tecnologias digitais. Essas ferramentas seriam úteis para o aprendizado de conteúdos escolares básicos e forneceriam aos educadores dados sobre o progresso de seus alunos.

Os professores, então, assumiriam o papel de “maestros da orquestra”, trabalhando com pequenos grupos e até mesmo individualmente, de forma focada e direcionada, de acordo com as dificuldades de cada estudante.

Brazil at Silicon Valley

O Brazil at Silicon Valley é 1 movimento e conferência liderada por estudantes das universidades de Stanford e Berkeley que busca melhorar a competitividade do país por meio de inovação e tecnologia.

No evento, brasileiros influentes entrevistam líderes mundiais e experts sobre assuntos relevantes ao desenvolvimento do país. A edição deste ano aconteceria de 30 a 31 de março, mas foi adiada e reformulada devido à pandemia do coronavírus.

Serão 5 painéis digitais, no total. O desta 4ª feira (13.mai.2020) foi o 2º. Os próximos serão divulgados pelo site oficial e redes sociais do evento, e devem acontecer às quartas-feiras, até o fim de maio.

Todos os painéis serão transmitidos pelo canal do YouTube do evento. Assista à íntegra do painel de Lemann e Khan.

Continuar lendo

imagem13 05 2020 21 05 22
imagem13 05 2020 21 05 22
Conteúdo Bloqueado

Ajude-nos a crescer! Compartilhe esta matéria com seus amigos no Facebook clicando no botão abaixo para desbloquear o conteúdo automaticamente. Compartilhar é grátis!

Clicando no botões você concorda com os termos de uso e política de privacidade

Compartilhe isso:

Curtir isso:

Curtir Carregando…

Fonte: xn--flashdenotcias-9lb.com.br/destaques/ensino-online-nao-substitui-o-presencial-diz-fundador-da-khan-academy-poder360-correio-df

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here