ANÚNCIO

O proeminente pastor e autor Michael Youssef emitiu uma exortação devastadora à Igreja sobre o uso do entretenimento como forma de atrair pessoas. Ele entende que muitos estão sendo mandados para o inferno através de uma pregação que não tem Cristo como centro.

ANÚNCIO

Ele alertou que o julgamento de Deus cairá pesadamente se os servos não retornarem ao Seu plano de discipulado: “O apóstolo Pedro disse que o julgamento de Deus começa na casa de Deus, então precisamos realmente começar com a Igreja e começar a limpar a casa”, disse o pastor da megaigreja Church of The Apostles em Atlanta, Geórgia (EUA).

Aos 71 anos de idade, o pastor mantém um programa de televisão e lidera a congregação com 3.000 membros. Ele também possui mais de 40 livros publicados, de acordo com informações do portal The Christian Post.

Yousseff alertou para o desvio doutrinário que ocorre em igrejas de todo o mundo: “Os chamados evangélicos se afastaram da ortodoxia bíblica e todo tipo de falsidade se infiltrou nos púlpitos. Basicamente, decidimos que vamos escolher qual parte da Bíblia gostamos e qual parte não gostamos. E isso é realmente generalizado; É um dia muito triste para a Igreja”, declarou.

ANÚNCIO

A “confissão positiva” e as pregações que colocam o ser humano no centro da experiência de fé são descritas por Yousseff como ações de lobos em pele de cordeiro: “Eles fazem isso tão docemente”, disse ele. “Eles sorriem enquanto fazem isso e é assustador. Você vê isso o tempo todo. Eles estão tão focados em serem positivos que se recusam a falar sobre o pecado. Eles dizem: ‘Deus realmente não se importa com essas coisas’”.

ANÚNCIO

“É difícil ouvir do púlpito que existe algo como pecado e Deus redimiu esse pecado na cruz, mas precisamos confessar e nos arrepender. É muito mais fácil ouvir: ‘Deus te ama do jeito que você é e você não precisa mudar, não precisa abandonar seu estilo de vida, independentemente de quão pecaminoso seja. Então a geração mais jovem está dizendo: ‘Ei cara, eu gosto dessas coisas. Atende aos meus desejos carnais. Estou avisando para que a pessoa comum no banco, principalmente a geração mais jovem, não se deixe enganar. Não se deixe enganar por esses pastores doces e de fala mansa que dizem: ‘Não podemos ter certeza absoluta sobre a verdade bíblica. A verdade é basicamente relativa’”, denunciou o pastor.

O pastor, que foi sacerdote episcopal nos anos 1980, observou que a principal denominação episcopal “perdeu a guerra para os secularistas, para os apóstatas, para aqueles que não queriam aceitar as reivindicações de Cristo”.

Um exemplo disso é que em 2015, a Igreja Episcopal votou na aprovação formal do casamento entre pessoas do mesmo sexo entre membros da denominação.

ANÚNCIO

Agora, Yousseff alertou, o mesmo está acontecendo na igreja evangélica de forma mais ampla: “Estou muito preocupado. Eu não estou sozinho [nessa preocupação]. Tenho tantos amigos queridos, como o Dr. Albert Mohler e muitos outros que estão de pé, lado a lado, dizendo: ‘Não, já vimos esse cenário antes e sabemos que não vai acabar bem’”.

ANÚNCIO

O afastamento da verdade bíblica se intensificou nos anos 1960, quando os líderes da igreja tentaram “fazer Jesus palatável para o movimento hippie”, avaliou. “Dissemos: ‘Tudo o que você quiser está bem. Você não quer entrar nas igrejas? Bem’. Continuamos acomodando e acomodando, e todas as gerações desde então pediram mais e mais concessões”.

O cenário atual é que há pouco espaço para os cristãos que realmente creem na Bíblia Sagrada: “A Igreja deveria ser a Igreja de Jesus Cristo, a reunião de crentes, mas a fim de fazer com que os incrédulos se sintam confortáveis, começamos a introduzir um certo tipo de música e depois a introduzir mensagens divertidas para ajudar as pessoas a se sentirem bem quando saíssem. Por que eles chorariam por seus pecados e se voltariam para o Senhor em arrependimento? Não, apenas faça com que se sintam bem consigo mesmos”, resumiu o pastor.

“Realmente tem sido uma coisa muito, muito sutil. Queremos que as pessoas se sintam bem. Bom, estamos fazendo as pessoas se sentirem bem até o inferno, infelizmente. Não é um cristianismo bíblico. […] No momento, basicamente temos uma audiência. Não estamos fazendo discípulos de Cristo – aqueles que estudarão a Palavra de Deus e crescerão, não apenas no conhecimento da cabeça, mas para se tornarem mais semelhantes a Cristo todos os dias”.

ANÚNCIO

Por fim, o pastor pontuou que o atual momento pede aos cristãos resiliência, sabedoria e fidelidade, pois os “dias difíceis à frente” serão intensos, uma vez que, assim como os primeiros cristãos foram culpados pela queda de Roma, “pagãos e pessoas que odeiam a Deus” culparão os crentes pela propagação do novo coronavírus.

ANÚNCIO

“Eles já estão pedindo para quem for à igreja seja preso. Se eles estão fazendo isso no meio da nossa situação sombria, espere até que termine. Eles virão atrás de nós com chuteiras. Quero preparar o corpo dos crentes em Cristo para estar alerta e estar ciente do fato de que passaremos por um período muito difícil pela frente”.

Fonte: noticias.gospelmais.com.br/igreja-pessoas-inferno-pregacoes-sentir-bem-134519.html

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here