imagem26-04-2020-23-04-40
imagem26-04-2020-23-04-40
A Biblioteca Escolar-Comunitária Érico Veríssimo de Brazlândia passa pela primeira reforma estrutural desde a inauguração, com substituição completa da rede elétrica e ajuste no fornecimento de água. A estrutura, mantida há 42 anos, estava precária, causando transtornos à comunidade e funcionários. Esta etapa de reparos é viabilizada a partir de R$ 60 mil de recursos do Programa de Descentralização Financeira e Orçamentária (PDAF). 

“A situação estava complicada”, confirma o coordenador regional de ensino de Brazlândia, Humberto José Lopes. Um funcionário chegou a ser jogado no chão após uma descarga elétrica. Além disso, as placas do forro instalado na época da inauguração chegaram a cair em cima de frequentadores. “Trabalhamos para retirar o material que não se usa mais, e é inflamável, por gesso acartonado em toda a área de 400 metros quadrados da biblioteca”, relata o gestor. 

Nessa etapa, também será extinto um sistema improvisado de recebimento de água, com uma interligação à caixa d’água que abastece um ginásio localizado no mesmo terreno. As mudanças na captação de água ainda prometem melhorar a pressão das torneiras e para descarga dos sanitários, além de eliminar um hidrômetro desnecessário. 

O recurso é aplicado pela Coordenação Regional de Ensino, que contratou uma empresa para executar os serviços. “O espaço sempre recebeu reparos pontuais e emergenciais, mas nunca passou por uma reforma do nível de agora”, revela o gestor. De acordo com ele, pouco a pouco, com entrada de recursos, é possível dar andamento às melhorias. A projeção é que mais um par de ações deixe o local como novo. 

No ano passado, verbas de emenda parlamentar permitiram que a Coordenação Regional de Ensino desse início a duas etapas da reforma. As melhorias incluíram revestimento nas paredes internas, que estavam mofadas e com infiltração, reparos nos banheiros e reestruturação completa do telhado. “Fizemos revisão no teto metálico, que também tinha vazamentos e, com os problemas na rede elétrica, gerava insegurança”, diz o coordenador.  

Espaço muito demandado 

Vinculada à Secretaria de Educação do DF, a Biblioteca Escolar-Comunitária Érico Veríssimo foi inaugurada em 1978 e atende uma média de 2,5 mil pessoas por mês. “O local é muito demandado pela comunidade. Muitos usam para estudar para concurso ou vestibular, ou para fazer trabalhos acadêmicos. As escolas públicas da cidade também usam bastante, com eventos, projetos de leitura, dinâmicas”, conta o coordenador. 

Por causa das medidas de prevenção à disseminação do coronavírus na capital, a biblioteca está fechada para o público. Enquanto mantém as portas fechadas, recebe as melhorias na estrutura desde o dia 13 de abril. “Aproveitamos o momento. Quando reabrirmos, teremos o local muito mais tranquilo, confortável e seguro do que antes. É um investimento para a própria comunidade”, diz Humberto José Lopes.   

Agora servidora do poder judiciário do DF, Alessandra dos Santos passou horas debruçada em livros naquela biblioteca. “Realmente a estrutura era precária. É bom que agora seja possível fazer uma reforma que melhore as condições de uso”, afirma. Ela valoriza a existência do espaço público para uso da comunidade. “É aquele velho clichê: o estudo liberta”. 

Fonte: agenciabrasilia.df.gov.br/2020/04/25/biblioteca-publica-de-brazlandia-passa-por-reforma-inedita

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here