Na terceira de uma série de videoconferências envolvendo médicos da Secretaria de Estado de Saúde do DF e especialistas chineses, voltaram a ser debatidas as ações de combate ao novo coronavírus e a mitigação de seus efeitos, sofridos por países do mundo inteira.

De acordo com o diretor do Hospital Ditan, Li Ang, o sucesso no tratamento da Covid-19, em Pequim, ocorreu por conta do diagnóstico dos sintomas nos pacientes e da realização de testes de rotina, sob coordenação de um grupo gestor de especialistas, que indicaram onde alocar os recursos para o tratamento correto. “O tratamento, baseado no controle da infecção, suportes hemodinâmico, ventilatório e nutritivo, aliado ao uso de remédios e suporte psicológico, se mostrou efetivo para a recuperação das pessoas afetadas”, destacou.

Quanto a prevenção e controle da doença, foram reforçadas as estratégias de distanciamento e isolamento social, quarentena para casos suspeitos e confirmados sem gravidade, testes em massa, uso de máscaras e vigilância comunitária, além do sistema em que os próprios moradores notificam as autoridades sobre os casos existentes. “As decisões do governo local foram tomadas após ouvir os especialistas. Foram destacadas clínicas, hospitais e profissionais exclusivamente para o tratamento da doença”, explicou Yang Peng, diretor do CDC Pequim.

Economia

A subchefe da Comissão para Desenvolvimento e Reforma Municipal de Pequim, Li Yuan, apresentou uma visão geral do apoio governamental aos negócios locais. O método adotado pela capital chinesa se mostrou eficaz no suporte a pequenas e médias empresas durante a pandemia. Pequim implementou estratégias multifacetadas para diminuir custos paraempresas, como a redução de valores de alugueis e de impostos, o aumento da oferta de crédito e a facilitação de financiamentos.

Para evitar demissões em massa, o governo local ofereceu subsídios financeiros correspondentes aos salários pagos aos funcionários das pequenas e médias empresas. Em contrapartida, as empresas forneceram capacitação aos empregados e garantiram que os mesmos não seriam demitidos.

A chefe do Escritório de Assuntos Internacionais da Governadoria do DF, Renata Zuquim, destacou a importância desta união entre Brasília e Pequim, apontando a solidariedade como fator decisivo na superação da pandemia de Covid-19. “Chaoyang, distrito de Pequim, tem irmanação com Brasília desde 2010 e, desde a missão oficial do Governo do Distrito Federal à China no ano passado, temos estreitado nossos laços. Neste momento crítico para todos, os países têm praticado a solidariedade e cooperação para enfrentar os problemas decorrentes da pandemia da Covid-19”, afirmou Renata Zuquim.

Relações internacionais

Organizado pelo Escritório de Assuntos Internacionais de Pequim, a teleconferência contou com a participação de médicos do Hospital Ditan, localizado em Pequim, na China; de profissionais do Centro de Saúde Global do Centro de Controle e Prevenção de Saúde; e do Departamento de Desenvolvimento e Reforma Municipal da capital chinesa, que compartilharam experiências com profissionais da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal e do Escritório de Assuntos Internacionais da Governadoria do DF, e com 60 participantes de 30 cidades-irmãs de Pequim ao redor do mundo. O encontro foi realizado na terça, 21.

*Com informações do Escritório de Assuntos Internacionais

Fonte: agenciabrasilia.df.gov.br/2020/04/23/pequim-compartilha-experiencias-de-combate-a-pandemia-e-apoio-economico

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here